• Sydney, Austrália

    Estude na badalada praia de Bondi

    24 semanas

    Escola: International House - Bondi

    Parcelas a partir de R$2190

Sydney é o destino preferido dos intercambistas que procuram a Austrália e não é difícil perceber o porquê: praias paradisíacas, um ambiente multicultural, povo amistoso, qualidade de vida e um elevado nível de ensino. Sydney, simplesmente, tem tudo de melhor que uma cidade pode oferecer. Além disso, outro divisor de águas na hora de decidir pelo destino, é a possibilidade de trabalhar legalmente na Austrália.

A hospitalidade e a receptividade do povo nativo fazem da cidade uma das mais atrativas, para estudantes de diferentes partes do mundo. O idioma oficial é o inglês, mas é comum ouvir pessoas falando em diferentes idiomas, como espanhol, italiano, grego e até português, andando pelas ruas de lá. Então, se você tem interesse em conhecer outras culturas, Sydney oferece esse “bônus” para você.

Outro aspecto que torna crescente o número de intercambistas, principalmente os brasileiros, é o clima que é bastante semelhante ao do Brasil. As estações são bastante definidas e tem as mesmas épocas das brasileiras, pelo país também estar localizado no hemisfério sul. No verão é bastante quente, no inverno esfria e no outono e primavera o clima fica bastante agradável.

Além disso, a qualidade do ensino no país é incontestável. Inclusive, o governo garante a qualidade do ensino através do monitoramento das aulas, do aprendizado, da administração e das áreas de pesquisa de cada uma das instituições. Existem regimentos próprios no país para garantir o alto padrão de educação e preservar os direitos dos estudantes internacionais, como a Lei dos Serviços Educacionais para Estudantes Estrangeiros e o Código Nacional de Boas Práticas para as Autoridades de Registro e Prestadores de Educação e Formação para Estudantes Estrangeiros. Ambos fornecem padrões nacionalmente homogêneos para provedores de educação e formação para estudantes estrangeiros.

E para aqueles estudantes que pretendem imigrar posteriormente ao país, estudar em solo australiano é, sem dúvida alguma, mais um diferencial relevante. Como o processo de imigração é construído de forma gradativa, nunca é cedo para começar a se qualificar.

Sydney localiza-se em torno de um dos maiores portos naturais do mundo, sendo considerada o principal centro financeiro da região Ásia-Pacífico e ter um dos maiores níveis de qualidade de vida do mundo. Não bastasse tudo isso, outra característica que atrai muitos estudantes é a possibilidade de trabalhar legalmente durante sua estadia no país. Isso permite que você ganhe dinheiro suficiente para pagar seu custo de vida e lazer e até, quem sabe, conseguir juntar uma graninha. Além do mais, estudar em outro país é uma das melhores formas de aprimorar o idioma, porque você estará amplamente conectado com o estilo de vida local.

Estudantes de Cursos de Inglês, Cursos Técnicos e Cursos Universitários de Graduação ou Pós-Graduação podem trabalhar 20 horas semanais, durante o período de estudos, e horas ilimitadas durante as férias do curso. Já os estudantes de Cursos universitários de pós-graduação que envolva pesquisa científica, como Mestrados e Doutorados, podem trabalhar horas ilimitadas durante todo o período do visto. No caso de dependentes (cônjuge e filhos), a permissão de trabalho é a mesma que a do estudante.

Se o aluno vier a completar um curso universitário no país e desejar prolongar sua estadia, ainda pode ganhar um visto de trabalho adicional após a formatura. Para bacharelado, são mais dois anos; mestrados, três anos; e doutorados podem valer mais quatro anos de visto de trabalho.

A maioria dos estudantes consegue empregos de meio expediente em algum momento de seus estudos no país. Os trabalhos mais comuns são como garçom, pintor, ajudante de limpeza, babá, jardineiro, em hotelaria, vendas, informática, restaurantes, supermercados, colheita de frutas. São empregos que não exigem muita qualificação, mas você pode se candidatar a qualquer emprego, basta cumprir as exigências. Mas, é claro, quanto mais qualificado o trabalho, mais imprescindível de que você fale inglês fluentemente. Por isso, a importância de dominar o idioma. Depois, com o inglês mais fluente e com certa experiência no país, você pode até tentar algo que tenha a ver com o que fazia no Brasil.

Além de ser um dos países que lidera o ranking mundial de desenvolvimento, a Austrália possui um dos maiores salários mínimos do mundo. Então, independente da atividade que você exercer, não receberá menos de A$ 18.29 por hora, que é o salário mínimo australiano desde julho de 2017.

O custo de vida mensal em Sydney é estimado em A$ 1.254,13 sem aluguel, para uma pessoal solteira e sem filhos.

Para te auxiliar na organização financeira, nós preparamos uma lista com principais gastos diários.

 

ALUGUEL

Apartamento de 1 quarto no centro A$ 2.000,00 a A$ 3.300,00

Apartamento de 1 quarto fora do centro A$ 1.305,00 a A$ 2.390,00

Apartamento de 3 quartos no centro A$ 3.500,00 a A$ 6.000,00

Apartamento de 3 quartos fora do centro A$ 2.200,00 a A$ 4.000,00

 

UTILIDADES

Básica (eletricidade, água, lixo) apartamento de 85m² A$ 100,00 a A$ 340,00

Internet A$ 59,00 a A$99,00

 

TRANSPORTE

Passe unitário (transporte local) A$ 3,50 a A$ 4,82

Passe mensal (preço regular) A$ 113,00 a A$ 240,00

Taxi – chamada (tarifa normal) A$ 3,30 a A$ 4,00

Taxi – por km (tarifa normal) A$ 2,19 a A$ 3,00

 

MERCADO

Leite regular (litro) A$ 1,00 a A$ 2,50

Pacote de pão A$ 1,10 a A$ 4,50

Arroz branco (kg) A$ 1,50 a A$ 4,00

Ovos (dúzia) A$ 3,00 a A$ 6,00

Peito de Frango (kg) A$ 8,00 a A$ 14,00

Carne de Gado (kg) A$ 10,00 a A$ 20,00

 

RESTAURANTES

Refeição básica A$ 12,00 a A$ 20,00

Fastfood (combo) A$ 9,00 a A$ 13,00

Água A$ 2,00 a A$ 3,60

Refrigerante A$ 2,00 a A$ 4,00

 

*Fonte: https://www.numbeo.com/cost-of-living/in/Sydney

Assim como nas demais grandes cidades australianas, em Sydney o transporte público é bastante eficiente. A cidade possui uma extensa rede de transporte que compreende toda a cidade, por meio de trens, bondes, ônibus e balsas. O serviço é operado pela Transport for NSW e funciona de maneira integrada por meio do Opal Card, um cartão pré-pago em que você coloca crédito para debitar toda vez que utilizar o transporte público. A cada entrada e saída do veículo você deve tocar seu Opal Card em um sensor. O toque do cartão no sensor é essencial, porque é dessa maneira que é feito o cálculo do valor a ser pago, que varia de acordo com o tipo condução utilizada, distância percorrida e horário.

Ônibus

Andar de ônibus em Sydney é relativamente simples e bastante cômodo. Os veículos são novos e todos climatizados. Todos os pontos são sinalizados com as rotas, números das linhas e as tabelas de horários. Também é possível fazer a consulta no site da Transport for NSW, disponível em www.transportnsw.info. Os ônibus da cidade circulam em uma faixa exclusiva, o que torna no trajeto mais rápido do que de carro, por exemplo. Também existe um número limite de passageiros nos ônibus.

Trem

Os trens são uma das melhores e mais rápidas opções do transporte público em Sydney. Como eles possuem dois andares e muitos assentos, não costumam ficar lotados. Além disso, são bastante pontuais e suas linhas conectam os principais bairros de Sydney. Também é possível fazer a consulta dos itinerários no site da Transport for NSW, disponível em www.transportnsw.info.

Balsa

Outra opção disponível em Sydney são as balsas. Esta é uma excelente opção para curtir as melhores vistas da cidade. As viagens são bastante agradáveis e confortáveis. As tarifas variam de acordo com o trajeto, dia e horário. Também é possível consultar os itinerários no site da Transport for NSW, que está disponível em www.transportnsw.info.

Bonde

Apesar de não serem tão populares quanto os demais meios de transporte, Sydney possui uma linha de bondes na cidade, os chamados Light Rail. Há projetos de ampliação desta, mas, atualmente, eles circulam entre o centro da cidade e Dulwich Hill.

Táxi

Sydney conta com uma grande frota de táxis, operada por diversas empresas, e são relativamente econômicos. Também não é difícil de conseguir um táxi, principalmente, nas áreas mais turísticas. Sydney também já oferece serviço de Uber, o aplicativo já conhecido pelos brasileiros, e costuma ser mais em conta.

 

Abaixo, você confere os preços médios* do transporte em Sydney:

Passe unitário (transporte local) A$ 3,50 a A$ 4,82

Passe mensal (preço regular) A$ 113,00 a A$ 240,00

Taxi – chamada (tarifa normal) A$ 3,30 a A$ 4,00

Taxi – por km (tarifa normal) A$ 2,19 a A$ 3,00

*Fonte: https://www.numbeo.com/cost-of-living/in/Sydney

Sydney é uma das cidades mais modernas e agradáveis do mundo. Isso porque a cidade possui uma combinação de atrativos para todos os públicos: uma combinação de praias perfeitas para a prática de surfe, o porto natural de águas cristalinas, a Sydney Opera House, além dos jardins, ilhas portuárias e faixas litorâneas intocadas. As opções são muitas e é bastante fácil conhecer e se locomover pela cidade com o excelente sistema de transporte público.

Um dos principais símbolos da Austrália e, certamente, parada obrigatória para quem visita a cidade é o Sydney Opera House. Com uma arquitetura única e uma programação variada e completa, é um dos principais lugares para as apresentações musicais, artísticas e performáticas da cidade. Para quem se interessa em conhecer o funcionamento do Sydney Opera House, é possível fazer um tour com guias pelos bastidores o um valor bem razoável.

Outro passeio imperdível são as caminhadas pela Harbour Bridge, a ponte icônica, de 1932, que liga o litoral norte ao sul, sob a Baía de Sydney. É nela que acontece o grande show pirotécnico de ano novo, que faz com que Sydney tenha uma das melhores e mais conhecidas festas do planeta. Também é possível escalá-la, nas expedições BridgeClimb, que o levará às alturas!

Atravessando a Harbour Bridge, está o famoso e mais antigo bairro de Sydney, The Rocks. O bairro, que é um ponto histórico da era colonial, costuma atrair visitantes para caminhadas em suas vias revestidas de pedra, que retratam o primeiro assentamento europeu na Austrália. As primeiras construções neste bairro histórico, que costumavam ser mansões, foram transformadas em museus, galerias de arte e cafés. No bairro, também vale a visita ao Queen Victoria Building, de 1898, em estilo romanesco. O prédio hoje abriga um centro de compras e serviços, com lojas refinadas, cafeterias e restaurantes. Encerrando a visita, conheça o Fort Denison, uma ilha com seu próprio miniforte e canhões. Praticamente uma aula de história!

Para quem curte o contato com a natureza, uma dica especial é conhecer o Royal Botanic Garden. Um lugar perfeito para quem quer descansar e relaxar. Também há atividades como a caminhada gratuita com guias turísticos voluntários pelos 30 hectares da propriedade. Além de fazer os passeios especiais sobre a história aborígene e de degustação de alimentos locais.

Já os aventureiros, podem acampar na Ilha Cockatoo, localizada atrás da Sydney Harbour Bridge, no Porto Middle. A ilha é um antigo presídio que hoje é um famoso ponto turístico com área de camping. Além de curtir uma das melhores vistas do mundo, você ainda terá a oportunidade de conhecer a história do local. E, por falar em vista incrível, no ano novo, o local recebe turistas do mundo todo para a melhor vista da queima de fogos de Sydney!

Um pouco mais distante, a algumas horas de Sydney, fica o Parque Nacional Blue Montains. Considerado Patrimônio Mundial, o parque possui uma área total de mais de um milhão de hectares de falésias de arenito, cerrados, cachoeiras e florestas de eucalipto, e, certamente, irá te surpreender. O parque é bastante popular entre os praticantes de escaladas e caminhadas e, principalmente, dos amantes da vida ao ar livre. É possível também pedalar na montanha e até praticar rapel. Ah, e o local tem uma névoa azulada, refletida pelas partículas de óleo de eucalipto no ar, que vista à distância, que colore toda a atmosfera. Simplesmente fantástico!

Finalmente, as praias paradisíacas de Sydney! Não faltam opções, como Bondi, Tamarama, Bronte e Coogee. A melhor opção para quem quer aproveitar este litoral é ir numa caminhada de Bondi a Coogee, passando por todas essas praias com as melhores vistas de Sydney. No trajeto, há cafés, restaurantes, diversos pontos turísticos e locais incríveis para nadar. Depois desse passeio, você vai entender o porquê de Sydney ser uma das cidades mais bonitas do mundo!

A rede de energia elétrica da Austrália é feito em 230/240 volts. 50 hertz.

O plug de tomada é diferente do utilizado no Brasil. Lá eles usam o plug tipo i.

A cada ano que passa, mais e mais estudantes veem em Sydney o destino perfeito para aprimorar seu inglês. Os motivos são muitos: o estilo de vida; a possibilidade de trabalhar enquanto estuda; os encantos naturais da cidade; a qualidade de vida que ela oferece... Enfim, os motivos são inúmeros. Com o aumento da procura por determinados serviços, a demanda também aumentou, o que reflete positivamente para o intercambista, pois muitas são as opções. E quando se trata de acomodação, seja para duas semanas ou até mesmo planos mais longos, exige uma estadia confortável para tornar memorável a experiência em todos os aspectos.

Para te auxiliar a encontrar a opção que mais se adapta à sua necessidade, nós listamos algumas possibilidades.

Casa de Família

Morar em casa de família, ou homestay, como são conhecidas, é uma excelente opção para quem pretende conhecer e aprender sobre a cultura australiana, com o benefício da segurança. Essas famílias recebem intercambistas de vários lugares do mundo, por isso estão acostumadas e tendem a ser pacientes com quem está desbravando terras aussies. Cada casa de família é escolhida, certificada e monitorada pelas instituições de ensino, que acompanham a estadia do aluno, assim como o feedback dos alunos antigos. Esse tipo de procedimento é importante para manter um padrão de qualidade, higiene e conforto. Além disso, geralmente, essa é uma opção mais cômoda, pois o viajante não precisa se preocupar em comprar itens de uso cotidiano, como lençóis e toalhas, por exemplo. As casas de família, também costumam oferecer refeições inclusas, como café da manhã e jantar (pode variar, consulte previamente).

Acomodação compartilhada

Como o nome sugere, as acomodações são casas ou apartamentos compartilhados, muito utilizados entre os alunos estrangeiros. Geralmente, é possível encontrá-las nas regiões centrais da cidade, nas proximidades das instituições de ensino. Assim, se torna fácil ter acesso às aulas e a estabelecimentos, como supermercados, lavanderias, restaurantes, evitando grandes deslocamentos. Nesse método de acomodação, cada intercambista é responsável por sua alimentação, pois dificilmente ela estará inclusa. Mas não se preocupe, sempre há espaço disponível para armazenar sua comida! Apesar de ser um modelo bastante procurado, as acomodações compartilhadas costumam ser moradias provisórias, onde os intercambistas de longo prazo passam as primeiras semanas, até encontrar uma residência definitiva. É comum encontrar anúncios de acomodação nessa modalidade nos quadros de aviso das escolas e universidades, em classificados de jornais locais ou em sites específicos. A melhor maneira de obter uma estadia tranquila e sem grandes problemas, é dividir o espaço com pessoas que você conheça, como amigos e colegas de aula. Conviver com pessoas desconhecidas pode ser bem problemático, por isso, se possível, opte por dividir o imóvel com pessoas conhecidas e que você acredita que vá se relacionar bem.

Aluguel de apartamento

Muitos dos intercambistas que chegam a Sydney, inicialmente, ficam em acomodações compartilhadas, em um período de adaptação, e depois de um tempo optam por alugar uma casa ou apartamento. Apesar de oferecer maior liberdade e independência, os custos costumam ser altos. Nesse momento, cabe ao estudante a procura pela residência definitiva que se adapte às suas necessidades. Existem sites de classificados de imóveis e, inclusive, grupos no Facebook, que tratam de vagas compartilhadas. Ao alugar uma casa, é comum que os proprietários solicitem que o aluguel seja pago adiantado e que uma caução – chamada “Bond” – referente a um mês de aluguel seja paga por segurança. Se não houver nenhum problema no imóvel no período em que esteve alugado, esse valor é ressarcido. É importante sempre observar as regras contratuais, que variam em cada caso.

Hostel

Essa é ima excelente opção para os viajantes que procuram um lugar para ficar por um curto espaço de tempo. Geralmente, são quartos e banheiros compartilhados, o número de pessoas tende a variar conforme o estabelecimento e o valor que você estiver disposto a pagar. Essa é uma opção bem interessante para compartilhar experiências com outras pessoas, pois é possível conhecer gente do mundo inteiro. Uma dica importante é se informar das condições de cada lugar, por exemplo, se eles oferecem armários para guardar suas coisas enquanto estiver fora, café da manhã e wi-fi. Os valores médios de hostel em Sydney variam de A$ 20,00 a A$ 40,00 a diária.

  • Para entrada na Austrália, é necessário apresentar o passaporte com visto válido. Esteja certo que o visto que você aplicou é correspondente ao objetivo da sua viagem.

  • Se você é daqueles colecionadores de carimbos no passaporte, fique atento, pois, algumas vezes, não é carimbada a entrada. Se acontecer com você, peça ao oficial da imigração.

  • O sistema de transporte australiano utiliza a mão inglesa, ou seja, o lado direito da rua. Fique atento ao atravessar a rua ou utilizar o transporte público. Agora, se você pretende dirigir no país, é necessário apresentar a CNH e a carteira internacional, que é solicitada no DETRAN de cada estado.

  • Apesar de que se fale pouco sobre isso, a Austrália exige Vacina de Febre Amarela para a entrada no país. Também pode ser exigida a carteira de vacinação internacional. Então, fique esperto e leve junto também o seu comprovante de vacinação, emitido pela ANVISA.

  • Na Austrália, é proibida a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos. E muitos desses estabelecimentos, principalmente casas noturnas e bares, onde há a venda, solicita o documento que comprove a maioridade já na entrada.

  • Em Sydney, diferente de muitas das grandes cidades brasileiras, apesar de ser uma cidade grande, você não precisa andar na rua sempre na defensiva, com medo de furtos e assaltos.

  • Como o fuso horário de Sydney é de 13 horas adiantado ao do Brasil, ou seja, é natural que você leve algum tempo para se adaptar. Então, tenha cuidado na hora de programar o roteiro dos primeiros dias de sua viagem, reservando um tempo adequado para o seu descanso.

Sydney é a maior e mais visitada cidade da Austrália, o que significa que em qualquer época do ano que se viaje, você encontrará uma grande variedade de atrações. Entretanto, é preciso avaliar seus gostos pessoais quanto ao clima que você pretende encontrar por lá.

Como Sydney localiza-se no hemisfério sul, as estações do ano são semelhantes às do Brasil. O verão compreende os meses de dezembro a março, e é sempre o período de alta temporada. Então, se você é atraído pelas praias australianas, é a melhor opção para visitar a cidade. Nessa estação, a média de temperatura é de 22ºC, mas não é incomum que ultrapassem os 30ºC. O verão também é o período mais chuvoso, podendo o clima mudar de repente. Então, não se assuste.

O outono australiano vai de março a junho e apresenta um clima mais ameno. É considerado um clima agradável para viajar, pois a umidade é mais baixa.

Entre junho e setembro, é inverno na Austrália, o período mais seco do ano, mas não se engane, chove nesse período também. Nessa época, a temperatura média é de 12ºC, com médias altas na casa dos 17ºC e mínimas, raramente, menores de 7ºC. É importante levar roupas quentes, se viajar nesse período, pois venta bastante. É uma época do ano excelente para passear e desfrutar de muitos atrativos naturais de Sydney, como, por exemplo, a temporada de observação de baleias.

Já a primavera, entre setembro e dezembro, é o período em que a cidade ganha vida! Os dias são mais quentes, mas a umidade não é tão alta quanto no verão. As temperaturas variam entre de 11ºC a 23ºC.

Então, se você busca por temperaturas quentes para curtir a praia, viaje no verão; se você gosta de frio, o inverno é a melhor opção. Para temperaturas amenas, nem muito frias e nem muito quentes, a dica é viajar no período de primavera ou outono.

Fazer compras é algo bem controverso: algumas pessoas amam, outras odeiam. Mesmo que você não seja o maior fã de shoppings centers, provavelmente, em algum momento, durante seu intercâmbio terá que visitá-los.

Na Austrália, existem diversos sites de vendas com entregas gratuitas em todo o país e são opções excelentes para compras programadas, principalmente para aqueles que procuram evitar shoppings.

Sydney oferece interessantes opções de compras, principalmente no centro da cidade, onde há vários “minishoppings” e redes conhecidas globalmente. Entre elas, instalado dentro de uma edificação histórica, de 1898, está o sofistidado Queen Victoria Building: uma das mais glamorosas opções dentre os shoppings da cidade. Vale o passeio, mas os preços não são tão atrativos para compras, em geral.

Já as vitrines agitadas da Pitt Street também são excelentes opções para compras. Inclusive, um trecho da Pitt Street, conhecido como Pitt Street Mall, é completamente fechado para veículos e se tornou um shopping a céu aberto, com várias lojas famosas.

Para quem gosta de artesanatos, uma boa dica é o The Rocks Market, que acontece aos sábados de manhã. Mas o maior dos mercadões populares é o Paddys Market, em Chinatown. Pode-se encontrar de tudo lá: de comida a roupas, passando por artesanatos e cartões postais. É uma excelente opção para quem pretende comprar lembrancinhas de viagem ou qualquer outro tipo de produto.

E uma dica de ouro: para compras acima de A$ 300,00 em uma mesma loja, em um prazo de 60 dias antes de você partir da Austrália, é possível requerer o reembolso dos impostos pagos, o Tax Refund. Basta, na hora da compra, solicitar ao atendente que a nota fiscal especifique os tributos pagos. Na hora de deixa o país, no aeroporto mesmo, você apresenta as nota em um dos postos de atendimento, logo após passar pela imigração, juntamente com os produtos adquiridos. O processo de estorno é bem simples e é feito com crédito em um cartão que você mesmo escolhe.

Com uma vida noturna amplamente agitada, o que não falta são opções de entretenimento em Sydney. É importante lembrar que a vida noturna australiana começa cedo, pois muitas festas começam às 18h ou 19h. E, geralmente, o agito também termina cedo, pelas 2h ou 3h da manhã. Também acontece de a cozinha dos restaurantes fechar às 22h. Não é uma regra, mas é bastante comum.

Outra dica é quanto ao consumo de bebida alcoólica: sempre que for comprar algum tipo destas, esteja portando documento de identificação, comprovando ter mais de 18 anos. Além disso, não se esqueça de que não é permitido ingerir bebidas alcoólicas nas ruas da cidade.

Um dos bares mais famosos de Sydney, certamente, é o Opera Bar, que pertence a Opera House. Lá, é possível ter uma vista linda para a Baía de Sydney e para a Harbour Bridge. É uma boa pedida para admirar o pôr-do-sol, tomar uns drinks e comer uns petiscos. Falando em Opera House, outra opção excelente é assistir uma apresentação no mais famoso monumento australiano. Sua programação é bastante variada e vale muito a pena conferir.

Se sua opção for por pubs, precisa começar pelo bairro histórico de The Rocks, a região concentra vários pubs em estilo inglês e irlandês. Agora, se você prefere baladas, a área portuária de Darling Harbour oferece as melhores opções. Geralmente, o dress code é casual.

Uma ótima opção de diversão é The Star Casino, que é bem mais que apenas um espaço de jogo, é um complexo de entretenimento com restaurantes, lojas e bares.

Imperdível é conhecer o 360 Bar and Dining, localizado no alto da Sydney Tower. Como o nome sugere, o bar e restaurante são giratórios, então, mesmo da sua cadeira, a cada 1h20min, você tem uma vista completa da cidade.

  • Um terço da população de Sydney não nasceu na cidade. Daí já dá ver o quão multicultural é a cidade, não é mesmo?

  • Sydney sedia um evento conhecido como “Festival de Ideias Perigosas”, apresentado pelo Centro de Ética e Opera House. São pensadores de todo o mundo com o objetivo de discutir as ideias significativas. Bem interessante!

  • Sydney possui um dos maiores salários mínimos do mundo!

  • A maior parte das praias da cidade disponibiliza churrasqueiras a gás para que as pessoas façam seu churrasco. E para que elas funcionem, é preciso apertar somente um botão, que ela já aquece.

  • Em Sydney é proibido atravessar a rua fora da faixa de pedestres e com o sinal fechado. Esteja atento, porque se você não seguir a lei, poderá ser multado.

  • A briga foi tão grande entre Sydney e Melbourne, para serem escolhidas como capital da Austrália, que o governo resolveu escolher Camberra.

  • A maioria das praias em Sydney tem piscinas artificiais abastecidas com a própria água do mar, que ficam mais ou menos na mesma altura da maré. Quando vêm as ondas, a água entra na piscina. É uma opção bastante segura.

  • Sydney tem um concurso anual de patos, onde os bichos são vestidos com as mais diferentes roupas. O evento faz parte de uma “competição agrícola” do país.

  • Além do inglês, vietnamita, grego, mandarim, cantonês, e árabe são as principais línguas faladas na cidade.

  • Blue Mountains tem esse nome por conta da névoa azulada que existe na região. Isso acontece quando a luz do sol entra em contato com as gotículas de óleo liberadas pelos eucaliptos, deixando a névoa da região mais azulada.

  • A Sky Tower Eye é o maior edifício da cidade, com 250m de altura e é considerado o segundo mais alto observatório do hemisfério sul – perdendo apenas para a Sky Tower, em Auckland.

Sydney é o destino australiano mais procurado pelos intercambistas e não é difícil perceber o porquê disso. Uma cidade deslumbrante, segura e vibrante, com uma geografia privilegiada, construída a volta de uma das baías mais bonitas do mundo, com praias de tirar o fôlego. Além disso, Sydney é a maior e mais antiga cidade da Austrália, com mais de cinco milhões de habitantes, e por conta disso, muitas vezes é confundida com a capital do país – que na verdade é Camberra.

A cidade é conhecida por suas praias perfeitas e, pode acreditar, faz jus à fama sem deixar nada a desejar. Sydney tem mais de 70 praias cristalinas, de baías desertas cercadas por matas e parques nacionais até faixas de areia de renome internacional. Há diversas opções para nadar, surfar e até mergulhar.

Não bastasse isso tudo, a cidade possui construções históricas preservadas que contrastam com outras tantas modernas, ícones da arquitetura mundial – a Sydney Opera House e a Sydney Harbour Bridge – que dão um ar cosmopolita à metrópole.

O ar de cidade grande divide espaço com o tranquilo estilo de vida australiano, que costuma agradar quem visita Sydney. Seu povo valoriza as coisas boas e simples da vida, como comer bem, fazer esportes e aproveitar sua própria cidade. Para completar, são extremamente acolhedores e amigáveis com quem decide desbravar terras aussies, o que faz do ambiente um lugar único de convergência de culturas. Apesar de a língua oficial ser o inglês, não é estranho andar pelas ruas da cidade e ouvir diversos idiomas como espanhol, chinês, grego, italiano, e até mesmo português por lá.

Juntando isso tudo, uma qualidade de vida incomparável, um ensino de alto nível e um crescimento econômico constante, é o que faz com que Sydney receba cada vez mais intercambistas todos os anos.

Fazer um intercâmbio em Sydney é abrir as portas para uma cidade multicultural, onde é possível encontrar gente do mundo todo, sem deixar de lado as tradições, cultura e receptividade que são essencialmente australianas. E você está esperando o que para descobrir o mundo de conhecimento e oportunidades que Sydney oferece? Entre em contato com nossos consultores!

Sydney é o destino preferido dos intercambistas que procuram a Austrália e não é difícil perceber o porquê: praias paradisíacas, um ambiente multicultural, povo amistoso, qualidade de vida e um elevado nível de ensino. Sydney, simplesmente, tem tudo de melhor que uma cidade pode oferecer. Além disso, outro divisor de águas na hora de decidir pelo destino, é a possibilidade de trabalhar legalmente na Austrália.

A hospitalidade e a receptividade do povo nativo fazem da cidade uma das mais atrativas, para estudantes de diferentes partes do mundo. O idioma oficial é o inglês, mas é comum ouvir pessoas falando em diferentes idiomas, como espanhol, italiano, grego e até português, andando pelas ruas de lá. Então, se você tem interesse em conhecer outras culturas, Sydney oferece esse “bônus” para você.

Outro aspecto que torna crescente o número de intercambistas, principalmente os brasileiros, é o clima que é bastante semelhante ao do Brasil. As estações são bastante definidas e tem as mesmas épocas das brasileiras, pelo país também estar localizado no hemisfério sul. No verão é bastante quente, no inverno esfria e no outono e primavera o clima fica bastante agradável.

Além disso, a qualidade do ensino no país é incontestável. Inclusive, o governo garante a qualidade do ensino através do monitoramento das aulas, do aprendizado, da administração e das áreas de pesquisa de cada uma das instituições. Existem regimentos próprios no país para garantir o alto padrão de educação e preservar os direitos dos estudantes internacionais, como a Lei dos Serviços Educacionais para Estudantes Estrangeiros e o Código Nacional de Boas Práticas para as Autoridades de Registro e Prestadores de Educação e Formação para Estudantes Estrangeiros. Ambos fornecem padrões nacionalmente homogêneos para provedores de educação e formação para estudantes estrangeiros.

E para aqueles estudantes que pretendem imigrar posteriormente ao país, estudar em solo australiano é, sem dúvida alguma, mais um diferencial relevante. Como o processo de imigração é construído de forma gradativa, nunca é cedo para começar a se qualificar.

Sydney localiza-se em torno de um dos maiores portos naturais do mundo, sendo considerada o principal centro financeiro da região Ásia-Pacífico e ter um dos maiores níveis de qualidade de vida do mundo. Não bastasse tudo isso, outra característica que atrai muitos estudantes é a possibilidade de trabalhar legalmente durante sua estadia no país. Isso permite que você ganhe dinheiro suficiente para pagar seu custo de vida e lazer e até, quem sabe, conseguir juntar uma graninha. Além do mais, estudar em outro país é uma das melhores formas de aprimorar o idioma, porque você estará amplamente conectado com o estilo de vida local.

Estudantes de Cursos de Inglês, Cursos Técnicos e Cursos Universitários de Graduação ou Pós-Graduação podem trabalhar 20 horas semanais, durante o período de estudos, e horas ilimitadas durante as férias do curso. Já os estudantes de Cursos universitários de pós-graduação que envolva pesquisa científica, como Mestrados e Doutorados, podem trabalhar horas ilimitadas durante todo o período do visto. No caso de dependentes (cônjuge e filhos), a permissão de trabalho é a mesma que a do estudante.

Se o aluno vier a completar um curso universitário no país e desejar prolongar sua estadia, ainda pode ganhar um visto de trabalho adicional após a formatura. Para bacharelado, são mais dois anos; mestrados, três anos; e doutorados podem valer mais quatro anos de visto de trabalho.

A maioria dos estudantes consegue empregos de meio expediente em algum momento de seus estudos no país. Os trabalhos mais comuns são como garçom, pintor, ajudante de limpeza, babá, jardineiro, em hotelaria, vendas, informática, restaurantes, supermercados, colheita de frutas. São empregos que não exigem muita qualificação, mas você pode se candidatar a qualquer emprego, basta cumprir as exigências. Mas, é claro, quanto mais qualificado o trabalho, mais imprescindível de que você fale inglês fluentemente. Por isso, a importância de dominar o idioma. Depois, com o inglês mais fluente e com certa experiência no país, você pode até tentar algo que tenha a ver com o que fazia no Brasil.

Além de ser um dos países que lidera o ranking mundial de desenvolvimento, a Austrália possui um dos maiores salários mínimos do mundo. Então, independente da atividade que você exercer, não receberá menos de A$ 18.29 por hora, que é o salário mínimo australiano desde julho de 2017.

O custo de vida mensal em Sydney é estimado em A$ 1.254,13 sem aluguel, para uma pessoal solteira e sem filhos.

Para te auxiliar na organização financeira, nós preparamos uma lista com principais gastos diários.

 

ALUGUEL

Apartamento de 1 quarto no centro A$ 2.000,00 a A$ 3.300,00

Apartamento de 1 quarto fora do centro A$ 1.305,00 a A$ 2.390,00

Apartamento de 3 quartos no centro A$ 3.500,00 a A$ 6.000,00

Apartamento de 3 quartos fora do centro A$ 2.200,00 a A$ 4.000,00

 

UTILIDADES

Básica (eletricidade, água, lixo) apartamento de 85m² A$ 100,00 a A$ 340,00

Internet A$ 59,00 a A$99,00

 

TRANSPORTE

Passe unitário (transporte local) A$ 3,50 a A$ 4,82

Passe mensal (preço regular) A$ 113,00 a A$ 240,00

Taxi – chamada (tarifa normal) A$ 3,30 a A$ 4,00

Taxi – por km (tarifa normal) A$ 2,19 a A$ 3,00

 

MERCADO

Leite regular (litro) A$ 1,00 a A$ 2,50

Pacote de pão A$ 1,10 a A$ 4,50

Arroz branco (kg) A$ 1,50 a A$ 4,00

Ovos (dúzia) A$ 3,00 a A$ 6,00

Peito de Frango (kg) A$ 8,00 a A$ 14,00

Carne de Gado (kg) A$ 10,00 a A$ 20,00

 

RESTAURANTES

Refeição básica A$ 12,00 a A$ 20,00

Fastfood (combo) A$ 9,00 a A$ 13,00

Água A$ 2,00 a A$ 3,60

Refrigerante A$ 2,00 a A$ 4,00

 

*Fonte: https://www.numbeo.com/cost-of-living/in/Sydney

Assim como nas demais grandes cidades australianas, em Sydney o transporte público é bastante eficiente. A cidade possui uma extensa rede de transporte que compreende toda a cidade, por meio de trens, bondes, ônibus e balsas. O serviço é operado pela Transport for NSW e funciona de maneira integrada por meio do Opal Card, um cartão pré-pago em que você coloca crédito para debitar toda vez que utilizar o transporte público. A cada entrada e saída do veículo você deve tocar seu Opal Card em um sensor. O toque do cartão no sensor é essencial, porque é dessa maneira que é feito o cálculo do valor a ser pago, que varia de acordo com o tipo condução utilizada, distância percorrida e horário.

Ônibus

Andar de ônibus em Sydney é relativamente simples e bastante cômodo. Os veículos são novos e todos climatizados. Todos os pontos são sinalizados com as rotas, números das linhas e as tabelas de horários. Também é possível fazer a consulta no site da Transport for NSW, disponível em www.transportnsw.info. Os ônibus da cidade circulam em uma faixa exclusiva, o que torna no trajeto mais rápido do que de carro, por exemplo. Também existe um número limite de passageiros nos ônibus.

Trem

Os trens são uma das melhores e mais rápidas opções do transporte público em Sydney. Como eles possuem dois andares e muitos assentos, não costumam ficar lotados. Além disso, são bastante pontuais e suas linhas conectam os principais bairros de Sydney. Também é possível fazer a consulta dos itinerários no site da Transport for NSW, disponível em www.transportnsw.info.

Balsa

Outra opção disponível em Sydney são as balsas. Esta é uma excelente opção para curtir as melhores vistas da cidade. As viagens são bastante agradáveis e confortáveis. As tarifas variam de acordo com o trajeto, dia e horário. Também é possível consultar os itinerários no site da Transport for NSW, que está disponível em www.transportnsw.info.

Bonde

Apesar de não serem tão populares quanto os demais meios de transporte, Sydney possui uma linha de bondes na cidade, os chamados Light Rail. Há projetos de ampliação desta, mas, atualmente, eles circulam entre o centro da cidade e Dulwich Hill.

Táxi

Sydney conta com uma grande frota de táxis, operada por diversas empresas, e são relativamente econômicos. Também não é difícil de conseguir um táxi, principalmente, nas áreas mais turísticas. Sydney também já oferece serviço de Uber, o aplicativo já conhecido pelos brasileiros, e costuma ser mais em conta.

 

Abaixo, você confere os preços médios* do transporte em Sydney:

Passe unitário (transporte local) A$ 3,50 a A$ 4,82

Passe mensal (preço regular) A$ 113,00 a A$ 240,00

Taxi – chamada (tarifa normal) A$ 3,30 a A$ 4,00

Taxi – por km (tarifa normal) A$ 2,19 a A$ 3,00

*Fonte: https://www.numbeo.com/cost-of-living/in/Sydney

Sydney é uma das cidades mais modernas e agradáveis do mundo. Isso porque a cidade possui uma combinação de atrativos para todos os públicos: uma combinação de praias perfeitas para a prática de surfe, o porto natural de águas cristalinas, a Sydney Opera House, além dos jardins, ilhas portuárias e faixas litorâneas intocadas. As opções são muitas e é bastante fácil conhecer e se locomover pela cidade com o excelente sistema de transporte público.

Um dos principais símbolos da Austrália e, certamente, parada obrigatória para quem visita a cidade é o Sydney Opera House. Com uma arquitetura única e uma programação variada e completa, é um dos principais lugares para as apresentações musicais, artísticas e performáticas da cidade. Para quem se interessa em conhecer o funcionamento do Sydney Opera House, é possível fazer um tour com guias pelos bastidores o um valor bem razoável.

Outro passeio imperdível são as caminhadas pela Harbour Bridge, a ponte icônica, de 1932, que liga o litoral norte ao sul, sob a Baía de Sydney. É nela que acontece o grande show pirotécnico de ano novo, que faz com que Sydney tenha uma das melhores e mais conhecidas festas do planeta. Também é possível escalá-la, nas expedições BridgeClimb, que o levará às alturas!

Atravessando a Harbour Bridge, está o famoso e mais antigo bairro de Sydney, The Rocks. O bairro, que é um ponto histórico da era colonial, costuma atrair visitantes para caminhadas em suas vias revestidas de pedra, que retratam o primeiro assentamento europeu na Austrália. As primeiras construções neste bairro histórico, que costumavam ser mansões, foram transformadas em museus, galerias de arte e cafés. No bairro, também vale a visita ao Queen Victoria Building, de 1898, em estilo romanesco. O prédio hoje abriga um centro de compras e serviços, com lojas refinadas, cafeterias e restaurantes. Encerrando a visita, conheça o Fort Denison, uma ilha com seu próprio miniforte e canhões. Praticamente uma aula de história!

Para quem curte o contato com a natureza, uma dica especial é conhecer o Royal Botanic Garden. Um lugar perfeito para quem quer descansar e relaxar. Também há atividades como a caminhada gratuita com guias turísticos voluntários pelos 30 hectares da propriedade. Além de fazer os passeios especiais sobre a história aborígene e de degustação de alimentos locais.

Já os aventureiros, podem acampar na Ilha Cockatoo, localizada atrás da Sydney Harbour Bridge, no Porto Middle. A ilha é um antigo presídio que hoje é um famoso ponto turístico com área de camping. Além de curtir uma das melhores vistas do mundo, você ainda terá a oportunidade de conhecer a história do local. E, por falar em vista incrível, no ano novo, o local recebe turistas do mundo todo para a melhor vista da queima de fogos de Sydney!

Um pouco mais distante, a algumas horas de Sydney, fica o Parque Nacional Blue Montains. Considerado Patrimônio Mundial, o parque possui uma área total de mais de um milhão de hectares de falésias de arenito, cerrados, cachoeiras e florestas de eucalipto, e, certamente, irá te surpreender. O parque é bastante popular entre os praticantes de escaladas e caminhadas e, principalmente, dos amantes da vida ao ar livre. É possível também pedalar na montanha e até praticar rapel. Ah, e o local tem uma névoa azulada, refletida pelas partículas de óleo de eucalipto no ar, que vista à distância, que colore toda a atmosfera. Simplesmente fantástico!

Finalmente, as praias paradisíacas de Sydney! Não faltam opções, como Bondi, Tamarama, Bronte e Coogee. A melhor opção para quem quer aproveitar este litoral é ir numa caminhada de Bondi a Coogee, passando por todas essas praias com as melhores vistas de Sydney. No trajeto, há cafés, restaurantes, diversos pontos turísticos e locais incríveis para nadar. Depois desse passeio, você vai entender o porquê de Sydney ser uma das cidades mais bonitas do mundo!

A rede de energia elétrica da Austrália é feito em 230/240 volts. 50 hertz.

O plug de tomada é diferente do utilizado no Brasil. Lá eles usam o plug tipo i.

A cada ano que passa, mais e mais estudantes veem em Sydney o destino perfeito para aprimorar seu inglês. Os motivos são muitos: o estilo de vida; a possibilidade de trabalhar enquanto estuda; os encantos naturais da cidade; a qualidade de vida que ela oferece... Enfim, os motivos são inúmeros. Com o aumento da procura por determinados serviços, a demanda também aumentou, o que reflete positivamente para o intercambista, pois muitas são as opções. E quando se trata de acomodação, seja para duas semanas ou até mesmo planos mais longos, exige uma estadia confortável para tornar memorável a experiência em todos os aspectos.

Para te auxiliar a encontrar a opção que mais se adapta à sua necessidade, nós listamos algumas possibilidades.

Casa de Família

Morar em casa de família, ou homestay, como são conhecidas, é uma excelente opção para quem pretende conhecer e aprender sobre a cultura australiana, com o benefício da segurança. Essas famílias recebem intercambistas de vários lugares do mundo, por isso estão acostumadas e tendem a ser pacientes com quem está desbravando terras aussies. Cada casa de família é escolhida, certificada e monitorada pelas instituições de ensino, que acompanham a estadia do aluno, assim como o feedback dos alunos antigos. Esse tipo de procedimento é importante para manter um padrão de qualidade, higiene e conforto. Além disso, geralmente, essa é uma opção mais cômoda, pois o viajante não precisa se preocupar em comprar itens de uso cotidiano, como lençóis e toalhas, por exemplo. As casas de família, também costumam oferecer refeições inclusas, como café da manhã e jantar (pode variar, consulte previamente).

Acomodação compartilhada

Como o nome sugere, as acomodações são casas ou apartamentos compartilhados, muito utilizados entre os alunos estrangeiros. Geralmente, é possível encontrá-las nas regiões centrais da cidade, nas proximidades das instituições de ensino. Assim, se torna fácil ter acesso às aulas e a estabelecimentos, como supermercados, lavanderias, restaurantes, evitando grandes deslocamentos. Nesse método de acomodação, cada intercambista é responsável por sua alimentação, pois dificilmente ela estará inclusa. Mas não se preocupe, sempre há espaço disponível para armazenar sua comida! Apesar de ser um modelo bastante procurado, as acomodações compartilhadas costumam ser moradias provisórias, onde os intercambistas de longo prazo passam as primeiras semanas, até encontrar uma residência definitiva. É comum encontrar anúncios de acomodação nessa modalidade nos quadros de aviso das escolas e universidades, em classificados de jornais locais ou em sites específicos. A melhor maneira de obter uma estadia tranquila e sem grandes problemas, é dividir o espaço com pessoas que você conheça, como amigos e colegas de aula. Conviver com pessoas desconhecidas pode ser bem problemático, por isso, se possível, opte por dividir o imóvel com pessoas conhecidas e que você acredita que vá se relacionar bem.

Aluguel de apartamento

Muitos dos intercambistas que chegam a Sydney, inicialmente, ficam em acomodações compartilhadas, em um período de adaptação, e depois de um tempo optam por alugar uma casa ou apartamento. Apesar de oferecer maior liberdade e independência, os custos costumam ser altos. Nesse momento, cabe ao estudante a procura pela residência definitiva que se adapte às suas necessidades. Existem sites de classificados de imóveis e, inclusive, grupos no Facebook, que tratam de vagas compartilhadas. Ao alugar uma casa, é comum que os proprietários solicitem que o aluguel seja pago adiantado e que uma caução – chamada “Bond” – referente a um mês de aluguel seja paga por segurança. Se não houver nenhum problema no imóvel no período em que esteve alugado, esse valor é ressarcido. É importante sempre observar as regras contratuais, que variam em cada caso.

Hostel

Essa é ima excelente opção para os viajantes que procuram um lugar para ficar por um curto espaço de tempo. Geralmente, são quartos e banheiros compartilhados, o número de pessoas tende a variar conforme o estabelecimento e o valor que você estiver disposto a pagar. Essa é uma opção bem interessante para compartilhar experiências com outras pessoas, pois é possível conhecer gente do mundo inteiro. Uma dica importante é se informar das condições de cada lugar, por exemplo, se eles oferecem armários para guardar suas coisas enquanto estiver fora, café da manhã e wi-fi. Os valores médios de hostel em Sydney variam de A$ 20,00 a A$ 40,00 a diária.

  • Para entrada na Austrália, é necessário apresentar o passaporte com visto válido. Esteja certo que o visto que você aplicou é correspondente ao objetivo da sua viagem.

  • Se você é daqueles colecionadores de carimbos no passaporte, fique atento, pois, algumas vezes, não é carimbada a entrada. Se acontecer com você, peça ao oficial da imigração.

  • O sistema de transporte australiano utiliza a mão inglesa, ou seja, o lado direito da rua. Fique atento ao atravessar a rua ou utilizar o transporte público. Agora, se você pretende dirigir no país, é necessário apresentar a CNH e a carteira internacional, que é solicitada no DETRAN de cada estado.

  • Apesar de que se fale pouco sobre isso, a Austrália exige Vacina de Febre Amarela para a entrada no país. Também pode ser exigida a carteira de vacinação internacional. Então, fique esperto e leve junto também o seu comprovante de vacinação, emitido pela ANVISA.

  • Na Austrália, é proibida a venda de bebidas alcoólicas para menores de 18 anos. E muitos desses estabelecimentos, principalmente casas noturnas e bares, onde há a venda, solicita o documento que comprove a maioridade já na entrada.

  • Em Sydney, diferente de muitas das grandes cidades brasileiras, apesar de ser uma cidade grande, você não precisa andar na rua sempre na defensiva, com medo de furtos e assaltos.

  • Como o fuso horário de Sydney é de 13 horas adiantado ao do Brasil, ou seja, é natural que você leve algum tempo para se adaptar. Então, tenha cuidado na hora de programar o roteiro dos primeiros dias de sua viagem, reservando um tempo adequado para o seu descanso.

Sydney é a maior e mais visitada cidade da Austrália, o que significa que em qualquer época do ano que se viaje, você encontrará uma grande variedade de atrações. Entretanto, é preciso avaliar seus gostos pessoais quanto ao clima que você pretende encontrar por lá.

Como Sydney localiza-se no hemisfério sul, as estações do ano são semelhantes às do Brasil. O verão compreende os meses de dezembro a março, e é sempre o período de alta temporada. Então, se você é atraído pelas praias australianas, é a melhor opção para visitar a cidade. Nessa estação, a média de temperatura é de 22ºC, mas não é incomum que ultrapassem os 30ºC. O verão também é o período mais chuvoso, podendo o clima mudar de repente. Então, não se assuste.

O outono australiano vai de março a junho e apresenta um clima mais ameno. É considerado um clima agradável para viajar, pois a umidade é mais baixa.

Entre junho e setembro, é inverno na Austrália, o período mais seco do ano, mas não se engane, chove nesse período também. Nessa época, a temperatura média é de 12ºC, com médias altas na casa dos 17ºC e mínimas, raramente, menores de 7ºC. É importante levar roupas quentes, se viajar nesse período, pois venta bastante. É uma época do ano excelente para passear e desfrutar de muitos atrativos naturais de Sydney, como, por exemplo, a temporada de observação de baleias.

Já a primavera, entre setembro e dezembro, é o período em que a cidade ganha vida! Os dias são mais quentes, mas a umidade não é tão alta quanto no verão. As temperaturas variam entre de 11ºC a 23ºC.

Então, se você busca por temperaturas quentes para curtir a praia, viaje no verão; se você gosta de frio, o inverno é a melhor opção. Para temperaturas amenas, nem muito frias e nem muito quentes, a dica é viajar no período de primavera ou outono.

Fazer compras é algo bem controverso: algumas pessoas amam, outras odeiam. Mesmo que você não seja o maior fã de shoppings centers, provavelmente, em algum momento, durante seu intercâmbio terá que visitá-los.

Na Austrália, existem diversos sites de vendas com entregas gratuitas em todo o país e são opções excelentes para compras programadas, principalmente para aqueles que procuram evitar shoppings.

Sydney oferece interessantes opções de compras, principalmente no centro da cidade, onde há vários “minishoppings” e redes conhecidas globalmente. Entre elas, instalado dentro de uma edificação histórica, de 1898, está o sofistidado Queen Victoria Building: uma das mais glamorosas opções dentre os shoppings da cidade. Vale o passeio, mas os preços não são tão atrativos para compras, em geral.

Já as vitrines agitadas da Pitt Street também são excelentes opções para compras. Inclusive, um trecho da Pitt Street, conhecido como Pitt Street Mall, é completamente fechado para veículos e se tornou um shopping a céu aberto, com várias lojas famosas.

Para quem gosta de artesanatos, uma boa dica é o The Rocks Market, que acontece aos sábados de manhã. Mas o maior dos mercadões populares é o Paddys Market, em Chinatown. Pode-se encontrar de tudo lá: de comida a roupas, passando por artesanatos e cartões postais. É uma excelente opção para quem pretende comprar lembrancinhas de viagem ou qualquer outro tipo de produto.

E uma dica de ouro: para compras acima de A$ 300,00 em uma mesma loja, em um prazo de 60 dias antes de você partir da Austrália, é possível requerer o reembolso dos impostos pagos, o Tax Refund. Basta, na hora da compra, solicitar ao atendente que a nota fiscal especifique os tributos pagos. Na hora de deixa o país, no aeroporto mesmo, você apresenta as nota em um dos postos de atendimento, logo após passar pela imigração, juntamente com os produtos adquiridos. O processo de estorno é bem simples e é feito com crédito em um cartão que você mesmo escolhe.

Com uma vida noturna amplamente agitada, o que não falta são opções de entretenimento em Sydney. É importante lembrar que a vida noturna australiana começa cedo, pois muitas festas começam às 18h ou 19h. E, geralmente, o agito também termina cedo, pelas 2h ou 3h da manhã. Também acontece de a cozinha dos restaurantes fechar às 22h. Não é uma regra, mas é bastante comum.

Outra dica é quanto ao consumo de bebida alcoólica: sempre que for comprar algum tipo destas, esteja portando documento de identificação, comprovando ter mais de 18 anos. Além disso, não se esqueça de que não é permitido ingerir bebidas alcoólicas nas ruas da cidade.

Um dos bares mais famosos de Sydney, certamente, é o Opera Bar, que pertence a Opera House. Lá, é possível ter uma vista linda para a Baía de Sydney e para a Harbour Bridge. É uma boa pedida para admirar o pôr-do-sol, tomar uns drinks e comer uns petiscos. Falando em Opera House, outra opção excelente é assistir uma apresentação no mais famoso monumento australiano. Sua programação é bastante variada e vale muito a pena conferir.

Se sua opção for por pubs, precisa começar pelo bairro histórico de The Rocks, a região concentra vários pubs em estilo inglês e irlandês. Agora, se você prefere baladas, a área portuária de Darling Harbour oferece as melhores opções. Geralmente, o dress code é casual.

Uma ótima opção de diversão é The Star Casino, que é bem mais que apenas um espaço de jogo, é um complexo de entretenimento com restaurantes, lojas e bares.

Imperdível é conhecer o 360 Bar and Dining, localizado no alto da Sydney Tower. Como o nome sugere, o bar e restaurante são giratórios, então, mesmo da sua cadeira, a cada 1h20min, você tem uma vista completa da cidade.

  • Um terço da população de Sydney não nasceu na cidade. Daí já dá ver o quão multicultural é a cidade, não é mesmo?

  • Sydney sedia um evento conhecido como “Festival de Ideias Perigosas”, apresentado pelo Centro de Ética e Opera House. São pensadores de todo o mundo com o objetivo de discutir as ideias significativas. Bem interessante!

  • Sydney possui um dos maiores salários mínimos do mundo!

  • A maior parte das praias da cidade disponibiliza churrasqueiras a gás para que as pessoas façam seu churrasco. E para que elas funcionem, é preciso apertar somente um botão, que ela já aquece.

  • Em Sydney é proibido atravessar a rua fora da faixa de pedestres e com o sinal fechado. Esteja atento, porque se você não seguir a lei, poderá ser multado.

  • A briga foi tão grande entre Sydney e Melbourne, para serem escolhidas como capital da Austrália, que o governo resolveu escolher Camberra.

  • A maioria das praias em Sydney tem piscinas artificiais abastecidas com a própria água do mar, que ficam mais ou menos na mesma altura da maré. Quando vêm as ondas, a água entra na piscina. É uma opção bastante segura.

  • Sydney tem um concurso anual de patos, onde os bichos são vestidos com as mais diferentes roupas. O evento faz parte de uma “competição agrícola” do país.

  • Além do inglês, vietnamita, grego, mandarim, cantonês, e árabe são as principais línguas faladas na cidade.

  • Blue Mountains tem esse nome por conta da névoa azulada que existe na região. Isso acontece quando a luz do sol entra em contato com as gotículas de óleo liberadas pelos eucaliptos, deixando a névoa da região mais azulada.

  • A Sky Tower Eye é o maior edifício da cidade, com 250m de altura e é considerado o segundo mais alto observatório do hemisfério sul – perdendo apenas para a Sky Tower, em Auckland.

Hora

Temperatura

+11
°
C
H: +19°
L: +10°
Sidney
Quinta-Feira, 17 Agosto
Ver Previsão de 7 Dias
Qua Sex Sáb Dom Seg Ter
+11° +16° +14° +16° +15° +15°
+11° +13° +11° +10° +12° +12°
Receber promoções por e-mail


Política de privacidade
'