Inglês Americano x Inglês Britânico

07/10/2015

Inglês é tudo igual, certo? Errado, e sabe por que? Por que existem milhares de diferenças entre o inglês americano e o inglês britânico. Muitas pessoas preferem e acham até mais fácil o inglês americano – eu atribuo isso as músicas e séries que estamos mais acostumados a ouvir ou assistir.

Já eu, particularmente, prefiro o inglês britânico. Prefiro, porque aprendi inglês na Irlanda, e o sotaque inglês foi o que prevaleceu na minha fala. O que não podemos negar é que existem sim diferenças entre um inglês e o outro, que vão além do sotaque. Vocês já foram para Portugal? Ou já assistiu uma palestra em português – de Portugal? Quando o povo de lá começa a falar rápido a gente quase não entende nada. Entre o inglês americano e o britânico é mais ou menos assim.

A língua, teoricamente, é a mesma. Mas o sotaque, a cultura e as gírias do lugar influenciam muito na forma como ela é falada. Por exemplo, na América você fala: cab, elevator e line; já na europa é: taxi, lift e queue.

Mas as diferenças vão além do vocabulário, estão também na ortografia e na gramática. Enquanto os americanos são mais diretos e usam com mais frequência o presente simples e o verbo auxiliar Do: Do you have a car?; os ingleses preferem o presente perfeito: Have you got a car.

As duas frases dizem a mesma coisa, só que de maneira diferente; e ambas estão certas. Assim como tanto o inglês americano, quanto o inglês britânico estão corretos.

Se você tem um nível básico do inglês e está indo para um intercâmbio, eu aconselho a aprofundar seus estudos já no inglês local. Se estiver indo para a Europa, foca no inglês britânico. Se for para os Estados Unidos, use a abuse do inglês americano. Em ambos você vai aprender vocabulário, ortografia e gramática; e é mais fácil aprender primeiro um, e depois ir complementando seus conhecimentos com filmes e leituras.

Vale a pena ressaltar que se você já fala um dos tipos do inglês, não precisa se desesperar e aprender todas as regras e mudanças do outro. O importante é que você fale inglês, e se falar direitinho vai ser entendido em qualquer lugar do mundo, seja com o inglês britânico, quanto com o inglês americano. 

 

por Mégui Moraes