Visto americano: como solicitar?

Tags: importante usa

02/09/2015

Se tem uma coisa que dá um nó na nossa cabeça é a solicitação do visto americano. Formulários, consulado, entrevistas... parece que fazer a solicitação é complicada, mas na verdade não é.

A primeira coisa a ser feita é entrar no site https://ceac.state.gov/genniv/ e preencher o formulário DS-160. O formulário é todo em inglês e as respostas devem ser fornecidas em inglês também. Preste atenção as perguntas e forneça as informações mais atualizadas possíveis. Ali vai perguntar de tudo: dados pessoais, viagens, trabalho, passagem pela polícia, tudo mesmo, por favor, não minta!

Outra coisa importante, é nesta primeira parte do processo que você escolhe o local da sua entrevista. No Brasil, temos 4 opções: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Recife. Eu fiz a minha entrevista em São Paulo, mas tenho amigos que optaram pelo Rio de Janeiro e falaram que o processo é bem mais rápido.

Feito isto, o segundo passo é o pagamento. Atualmente a taxa de solicitação do visto americano – para turismo, é de US$ 160. O pagamento pode ser feito com cartão de crédito no próprio site do agendamento, nas agências do Citibank ou por boleto bancário.

Somente depois da confirmação do pagamento é que será possível agendar a entrevista. Para isso é preciso ter em mãos o número do formulário DS-160 e o recibo de pagamento. Atualmente é preciso agendar duas datas: uma para a coleta de dados e fotos e outra para a entrevista.

Tendo as datas já agendadas, você precisa separar a documentação necessária. É obrigatório levar:

· Passaporte (deve ser válido para os próximos 06 meses);

· Página de confirmação do preenchimento do formulário DS 160;

· Página de confirmação de agendamento;

· Documentos pessoais

Alguns sites aconselham levar também: imposto de renda; extratos bancários (referentes aos últimos 3 meses); contracheques (últimos 3 meses); declaração da faculdade; certidão de casamento; etc.

Com a criação dos Centros de Atendimento ao Solicitante de Visto – CAVS, o processo ficou um pouco mais fácil. A primeira parte da entrevista é realizada nestes centros, onde eles tiram a sua foto e coletam a documentação necessária. A segunda parte (que a entrevista propriamente dita) é realizada no Consulado. Sendo assim, a quarta e última parte do processo é o comparecimento ao CAVS e ao Consulado.

Minha experiência:

Fiz tudo seguindo os passos lá de cima. Agendamento e pagamento realizado, fui primeiro no CAVS de Porto Alegre. Posso dizer que o processo de agendamento realmente funciona, não fiquei nem 30 minutos dentro do Centro. Entreguei os documentos e logo depois me chamaram para pegar as digitais e tirar as fotos. Rápido e simples!

Na semana seguinte, fiz um vôo de bate e volta para São Paulo. Dica: NÃO FAÇAM ISSO! O vôo atrasou muito e eu quase perdi o tempo de tolerância para entrar no Consulado. Lá sim, o processo é mais demorado, porque tem muita fila. Por isso, aconselho, de novo, a fazer no Rio de Janeiro.

A entrevista em si foi muito tranquila. Para quem não conhece o Consulado, ele é um galpão com vários guichês. E esses guichês são separados por: família ou individual. Em relação aos documentos, levei apenas os obrigatórios. Não levei certidão, nem contracheque, nem nada (e não tive problemas). O americano que me entrevistou foi muito querido. Ele perguntou o que eu fazia (em termos de profissão), se já tinha viajado para fora do país, e o que iria fazer nos Estados Unidos, apenas isso. A entrevista foi toda em português e em poucos minutos ele disse que o visto havia sido aprovado.

O passaporte fica no consulado para eles anexarem o visto e depois de 15 dias ele chegou na minha casa. Tanto nos CAVS quanto no Consulado não é permitido entrar com nenhum tipo de eletrônico, nem telefone, nem fones de ouvido, absolutamente nada. Existem uns guarda-volumes na frente do consulado, mas eles cobram caro para guardar suas coisas, então o ideal é nem levar junto.

Lembrando que a Estudar no Exterior Intercâmbio possui assessoria especializada em vistos americanos ou para qualquer outro lugar do mundo. Saiba mais em: http://estudarnoexterior.com.br/visto

 

por Mégui Moraes