Trabalhar no exterior, uma experiência que deve ser valorizada

29/09/2015

Para aqueles que viajam ao exterior para estudar, a experiência obtida no intercâmbio, em alguns casos, vai muito além das horas de estudo em sala de aula. Isso porque, a convivência com outros intercambistas e nativos do país auxiliam e muito na hora de aperfeiçoar o segundo idioma, bem como pelo fato de que, muitas vezes dependendo do país de destinos, estudantes aproveitam as horas vagas para trabalhar e muitos, acabam se dando tão bem que acabam por vezes não voltando mais para o Brasil, fazendo carreira profissional e imigranto para o exterior.

Mas como proceder na hora de tentar se inserir no mercado de trabalho no exterior, sem riscos de ser deportado por estar trabalhando ilegal?

Primeiramente é importante você saber que, a educação é o caminho mais fácil e mais rápido, bem como o mais seguro para quem quer trabalhar no exterior. O estudante deve possuir situação legalizada e um visto de estudo e trabalho válido para o país de destino. Para isso, é necessário estar matriculado em uma escola de idioma, college ou universidade, dependendo do destino que escolher.

Cada país possui suas regras para admissão de estudantes, de trabalhadores e regras para aceitação de residentes e imigrantes. Os países mais procurados, que permitem que estudantes trabalhem legalmente durante a estadia no país, são:

Irlanda – Necessário que o estudante esteja matriculado num curso com carga horária mínima de 15 horas de aula por semana. Tanto faz se for curso de idioma ou cursos de nível superior, desde que tenha duração mínima de 25 semanas (6 meses), o que dará direito ao estudante trabalhar 20 horas semanais durante o período de aula e 40 horas semanais durante o período de férias. Na Irlanda são concedidos até 2 meses de visto além do período do curso. Salário mínimo de EUR 8,65 por hora. Também é possível permanecer no país por diverssos anos, sendo estudando inglês por até 3 períodos, equivalentes a dois anos e meio e posteriormente, poderá ser feito cursos de nivel superior, pós-graduação, etc.  Saiba mais sobre o programa de estudo e trabalho na Irlanda e veja o vídeo com o passo a passo para estudar na Irlanda:

Austrália – O Estudante poderá trabalhar 20horas por semana durante período de aula e 40 horas semanais durante o período de férias. Necessário se matricular em curso com duração mínima de 14 semanas, desde que no mínimo estude 20 horas por semana. Na Austrália são concedidas até 4 semanas de visto além do período do curso.  Salário mínimo de AU$ 18 por hora. O estudante também poderá renovar o visto como estudante de inglês por diversos períodos, sendo que, assim como na Irlanda, poderá posteriormente fazer cursos de nível superior, os quais são reconhecidos e considerados para que o estudante possa obter residência e posteriormente imigrar legalmente para a Australia.  Saiba mais sobre a Austrália, regras para o visto e monte orçamento online para estudar e trabalhar na Austrália.

Nova Zelândia – Estudantes terão direito a 20 horas de trabalho semanais durante período de aula e 40 horas semanais durante o período de férias, desde que matriculados em cursos com duração mínima de 14 semanas. A imigração não tem uma regra clara sobre semanas adicionais de visto além do período do curso, pode ser solicitado até 4 semanas na hora de fazer o visto, mas não há garantia de concessão, depende da duração do curso e do perfil do estudante. Salário mínimo de NZ$ 14 por hora. Assim como nos demais países, o caminho para o sucesso e imigração, necessariamente passa por um curso de inglês até ganhar a fluência e posteriormente poderá ser seguido através de matricual em cursos universitários o que derá direito a visto de residência e ao concluir, desde que tenha emprego na área de formação, poderá aplicar para a imigração. Saiba mais sobre a Nova Zelândia e monte o seu primeiro orçamento online em nosso site:

*Canadá – É permitido trabalhar no Canadá APENAS estudantes que estiverem frequentando cursos de nível superior, tanto cursos técnicos como cursos universitários. Para isso, é necessário já possuir um nível de inglês avançado ou poderá inicialmente ir para o canadá para estudar inglês e já emendar um curso de nível superior. No Canada cada ano de curso de nível superior te dará direito a um outro ano adicional de visto de trabalho. Obter um trabalho formal em área de formação é 50% do que é exigido para imigrar para o Canada. O Canada é o país com maiores facilidades para estudar, trabalhar e imigrar, mas a educação é sem dúvida, o caminho mais fácil para isso. O Salário mínimo é de CAD$ 10 a CAD$ 11 por hora, dependendo da província.  Solicite informação sobre o serviço de colocação universitária da Estudar no Exterior Intercâmbio.

Alemanha - Estudantes matriculados em cursos de nível superior também poderão trabalhar em torno de 20 horas semanais. Para isso também é necessário ter nível de conhecimento avançado do idioma alemão e obviamente, as universidades públicas, GRATUITAS da Alemanha, possuem o pré-requisito do conhecimento avançado do idioma.  A Estudar no Exterior oferecer um serviço de preparação e colocação em universidades públicar gratuitas na Alemanha. Trabalhadores na Alemanha receber salário mínimo de EUR 8,50 por hora. Solicite informação sobre o serviço de colocação universitária da Estudar no Exterior Intercâmbio.

Argentina - Estudantes matriculados em cursos de idioma ou de nível superior também poderão trabalhar legalmente na Argentina, desde que obtenha um DNI, documento de identidade Argentino. Na Argentina não existe exigência de conhecimento do idioma espanhol, apesar de ser aconselhável para quem vai trabalhar ou fazer faculdade. Na Argentina também as universidades públicas são GRATUITAS até mesmo para Brasileiros. Salário mínimo na Argentina em torno de 6060 pesos para quem trabalha horário integral. Solicite informação sobre o serviço de colocação universitária da Estudar no Exterior Intercâmbio.

Estados Unidos é um país que mais tem procura para programas de trabalho, mas infelizmente o governo americano não permite que estudantes trabalhem legalmente. Apesar disso, estudantes qualificados, após graduados tem possibilidade de conseguir emprego, desde que haja carência de profissionais nas áreas de formação e desde que as empresas queiram contratar. A Estudar no Exterior oferece serviço de colocação em colleges onde podem ser feitos os dois primeiros anos e posteriormente, o estudante poderá transferir os creditos para a universidade. Infelizmente, quem quiser trabalhar enquanto estuda somente se for no campus da universidade ou com autorização especial da universidade. Solicite informação sobre o serviço de colocação universitária da Estudar no Exterior Intercâmbio.

Reino Unido é outro país que NÃO oferece muitas facilidades para quem quer estudar e trabalhar. Somente poderão trabalhar alunos matriculados em universidades públicas (não gratuitas) e neste caso, poderão trabalhar até 10 horas semanais. Por estes motivos, o Reino Unido não tem sido um país atrativo para estudantes Brasileiros que buscam programas de estudo e trabalho no exterior. De qualquer forma, se quiseres estudar inglês no Reino Unido, veja maiores detalhes em nosso site: http://estudarnoexterior.com.br/pais/inglaterra

Em alguns países, como na Australia, Irlanda e Canada, você contará com profissional da Estudar no Exterior que irá te auxiliar com dicas sobre como e onde buscar trabalho, bem como, antes de embarcar poderemos te passar mais detalhes sobre as áreas de maior carência de profissionais.

A principal dica é embarcar para o novo país sem preconceitos. Lembre-se que você irá para um país diferente, com a cultura e a língua diferente e nem sempre todos os seus certificados e experiências no Brasil serão levados em conta. Por isso, na hora de procurar um emprego, não exija de si mesmo conseguir o emprego dos sonhos. Muitos brasileiros que hoje possuem um bom emprego no exterior começaram onde, provavelmente, você irá começar.

Permita-se fazer algo diferente e experimentar experiências que você nunca vivenciou. Liberte-se de pensamentos preconceituosos e deixe sua zona de conforto aqui no Brasil. Aventure-se nas cozinhas de restaurantes internacionais, aprenda a lavar pratos na velocidade da luz, fique expert em trocar fraldas, aprenda a se comunicar em inglês com crianças que você cuidar, treine suas habilidades como garçom, divirta-se passeando com cachorros ou desenvolva sua capacidade de arrumar a cama e trocar lençóis em redes de hotéis.

O importante não é o cargo que você irá exercer, mas sim o proveito que você irá tirar dessa experiência. Por isso, permita-se viver esses momentos que irão te engrandecer como pessoa e profissional, futuramente. Além disso, ganhar em Euro, Dólar tem um sabor super especial.

por Jéssica Grings

 

comments powered by Disqus



Estudar no Exterior Intercâmbio - 2017