Maressa Dinamarca

Tags: eu fui usa

12/05/2015

Por Maressa Dinamarca

 

O Guilherme da equipe Estudar no Exterior, hoje me deu um desafio, de escrever um pouco sobre o meu intercambio, que irá acontecer em breve. Em breve meeeeesmo.

E de fato é um desafio eu falar disso, porque quando volto no tempo e lembro de todo o processo, a emoção toma o meu coração, pois vi meu sonho se concretizando nos pequenos detalhes, vi pessoas sonhando comigo e vi o quanto eu amadureci e aprendi. Isso tudo só durante o processo de fechamento de orçamento, organização das finanças, emissão de passaporte, entrevista para o visto, compra das passagens ... Imagina quando chegar o dia. Imagina quando eu chegar lá. Imagina quando eu ver de perto tudo aquilo que só via pela televisão e internet. Gueeeenta coração!!!



Mas vamos lá...

Tudo começou em Janeiro de 2013, quando iniciei a minha busca pelo intercambio. Meu destino eu já tinha certo: San Francisco/California :) . Fiz várias buscas por empresas sérias que me oferecessem o melhor custo x benefício. Fiz vários orçamentos. Fui em vários escritórios. Fiz várias ligações. Mas nenhuma me ofereceu uma forma de pagamento bacana, que coubesse no meu bolso e que ainda me desse uma "folguinha" pra eu juntar a grana pra levar. Confesso que a busca me cansou. Mas eu não cansei do meu sonho, eu cansei e me desanimei com as empresas que eu acho que não entenderam muito bem a minha situação. Por fim, eu até recebi um e-mail da Estudar no Exterior. Mas eu já estava tão desanimada, que deixei pra lá.

Enfim... 1 ano e um mês se passou e num belo dia de Fevereiro de 2014, eu acordei decidida que iria fechar algum intercâmbio. Mesmo que para isso eu tivesse que sacrificar muuuitas coisas.

 

Ok. Cheguei no trabalho e trabalhei muito durante aquela manhã, mas não me esqueci da minha decisão. VOU FECHAR UM INTERCAMBIO HOJE. Lembro como se fosse hoje que aquele dia eu tive um imprevisto e não consegui sair pra almoçar no horário de costume que era 12h00. Olhei no relógio, já era 13h30 mais ou menos. Resolvi sair e almoçar e depois focaria na busca pelo intercambio. Quando deu 14h00 mais ou menos (sim, eu como rápido), eu voltei pra minha mesa e acessei meu e-mail. Coincidência ou não, tinha acabado de entrar na minha caixa de entrada um e-mail do Guilherme da Estudar no Exterior, dizendo que no sistema dele tinha a informação que em 2013 eu estava em busca de intercambio e se eu ainda tinha interesse.

Juro, naquela hora meu olho brilhou. Seria esse um sinal de que de fato meu sonho estava preste a se realizar?

 

E-mail vai, e-mail vem, orçamento vai, orçamento vem e o que mais me encantou foi a frase: Temos algumas opções de pagamento diferenciadas. É só me dizer como você pode fazer! Não deixe de realizar seu sonho.

Pronto, era isso que eu queria ouvir. Era isso que de fato eu estava buscando. Alguém que me entendesse e que me ajudasse.

Naquela mesma semana, eu fechei o orçamento, assinei contrato, paguei a entrada e já fiquei e ainda estou a espera do grande dia. Afinal, eu estava decidida a realizar o meu sonho.

 

Nesse primeiro processo foi importantíssimo a clareza em todas as informações passadas, e isso o Guilherme não deixou a desejar. Me explicou linha por linha do orçamento, tudo o que contemplava, tudo o que a empresa e a escola ofereciam e até um pouco da vida na cidade, quanto eu gastaria com alimentação etc. Isso passa uma tranquilidade absurda para o intercambista, porque independente de ser seu sonho, é uma viagem internacional - no meu caso a primeira viagem internacional -, você irá para um lugar desconhecido, onde ninguém fala a sua a língua e não dá pra simplesmente ligar pro teu pai e pedir pra ele te buscar. O "buraco é bem mais embaixo".

 

A busca pela empresa também é mais do que importante. Claro que antes de eu fechar tudo, eu fiz várias buscas, tipo detetive mesmo. Procurei saber se a empresa existia de fato, afinal, eu estava em SP e eles em RS. Fucei o Facebook para encontrar pessoas que viajaram pela empresa e conversei com essas pessoas. Busquei por reclamações na internet. Fiz busca e consultei o CNPJ. Então, nem preciso dizer que a Estudar no Exterior é de confiança né?

 

Outro ponto importante é conhecer a escola que você vai estudar. Antes de fechar o intercambio eu pesquisei bem a escola, no caso a LSI. Conversei com alguns alunos que estudaram lá (sim, fiz a detetive novamente e intrusa, rs), acessei o Facebook. Vi as fotos. Vi os programas. Cheguei até mandar e-mail, e sim, eles me responderam. Por mais que a Estudar no Exterior seja uma empresa séria, isso te traz uma segurança maior #ficadica.

 

Essa é parte da minha história com a Estudar no Exterior e como ela participou na realização do meu sonho.

 

Ainda tenho muito mais pra contar, porque intercambio não é apenas ir e curtir, existe todo um processo, além desse começo, que envolve planejamento financeiro, mudança da hábitos, organização de roteiro e principalmente um belo de um tratamento para ansiedade.

 

Maressa Dinamarca, Futura Intercambista